Sentir uma sensação de “está na hora”. E só para deixar bem claro, NÃO ESTOU NA BAD.

Tive febre a semana toda, e por incrível que pareça, nunca curti tanto o frio assim nessa minha vida. Eu sei, foi aquela chuva. Parece bobagem, mais amei, meu coração esteve diferente, pela primeira vez me senti do mundo. Aquilo tudo parecia meu.
Sobre a febre todos esses dias, acho que meu corpo reclamou, minha alma gritou, e meu coração enfraqueceu.
Eu costumava dizer que tudo isso era frescura, e vamos partir para mais uma. Mais não! Eu senti uma sensação de “está na hora”.
Que Droga, as vezes eu gostaria que as pessoas mentisse menos para mim.
Já sei, chega disso, vou para o cinema, lá as coisas não são reais como as coisas que não acontece na minha vida.

Estágio para o fracasso.

Já me fiz por inteiro
Sim, logico que fui
Já tive uma  banda, e namorada também
Fui completo nessa vida
Já fui herói, tio, até pai
Sempre fui amigo, constante, até rico
Cantei aquela mina, cantor como sempre escritor
Tive amigos como irmãos, e irmãos como amigos
Fui carente ao mesmo tempo careta, palhaço
Pai e mãe como ouro de mina
Viajei por todo universo, e escalei estrelas
Caminhei pelas ruas pensativo
Fui vencedor, até ator
Consegui alcançar um bom titulo para um álbum
Briguei com todo mundo quando assim sincero
Fui dono de tudo quanto nunca tive nada
Cansei, corri, perdi ao mesmo tempo parei
Frustrei, me calei, conversei tanto com ela
Tive o platônico e também a tônica
Corajoso que quis ser ao fato de não precisar
Cimento em isopor para proteção de nada
Eu defendi e ataquei
Fui rei e também sapo
E no fim fui eu
Entre musico fracassado e escritor arruinado, mesmo com astucia na metáfora da vida e a hipérbole do realismo do viver
Fui e tive tudo isso, só que na imaginação!

Sem um bom titulo.

Só era quase 30 e eu tinha tanto a contar, e nem me empolgo, muito menos já nem tenho mais ansiedade.
Placebo que a saliva me causa, e eu ainda não sei ganhar dinheiro.
Hoje eu fiz a barba achando que eu ia me sentir mais novo.
Não tenho mais Vó, nem Vô, e nem alguns amigos.
Eu deveria saber ganhar dinheiro, mas só o que sei é perder tempo.
Amores e romances em penhascos de espelhos, que quando pulamos, nos vemos em desesperos. Que quando nos esbarramos no chão, nos vemos em vão.

Mulheres

Vivi dias com ela, e foram momentos nas quais não esqueço. Logo em outros momentos, tive dias junto com aquela outra. E sempre foi assim, outra, e outra, há outra, como uma fila desorganizada.
E em grandes momentos de crise, tudo o que eu dizia não passava de garranchos, e o que eu tentava dizer parecia outra linguá, e quase sempre eu tinha que ser o surdo e o mudo, mesmo, escrevendo grandes textos simplórios, com significados singulares.
O bang me acerta também, eu também sei pular, cair também, e morrerei.  E o melhor, dias, dias, os dias, aqueles dias, são com seus grandes momentos.

Chunky, a volta.

Era aqueles olhos negros que me refletia, em planto e  barrancos, sem paredes para se apoiar, atrasados pés de pernas desequilibradas, e tudo rodava, tudo roda, que hoje eu te quero e amanha te quero mais, mais te ver já não é tão bacana.
Tão degradante não conseguir se segurar. – Olha lá, veja o fim, veja como me apoderei de ti e logo me perdi. A barra está pesada, e o vestido preto rasgado te devolvi um no valor do mundo e te viste para um novo show.
E o tiro que levei foi para me acostumar, que logo que eu receber um bang de uma 12, e dessa, e  desse buraco na cara, eu não voltaria nunca mais. Mesmo. Que mesmo. Mesmo que eu. – Ta legal, seu poder de sedução me atrairia de volta.